07/11/06

“Terramotos Reais e Imaginários”, por Rui Tavares


NOTA DE IMPRENSA

O Círculo Cultural Scalabitano promove uma conferência “Terramotos Reais e Imaginários”, por Rui Tavares, no próximo dia 9 de Novembro, quinta-feira, pelas 21h30, no seu auditório “Teatro Taborda, integrada no Ciclo de Conferências que se realizou durante todo o ano, sob o signo da Evocação do Centenário do Grémio Literário Guilherme de Azevedo.


Rui Tavares é escritor e historiador, nascido em Lisboa em 1972. Dedica-se à história e crítica da arte e da literatura, bem como das relações entre cultura, política e ciência no Iluminismo. Na blogosfera é mais conhecido por ter sido fundador e um dos mentores do Barnabé
. Licenciado em História, variante de História da Arte, pela Universidade Nova de Lisboa. Mestre em Ciências Sociais pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Doutorando em Histoire et Civilisation na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris. Entre outras colaborações dispersas na imprensa nacional, publicou artigos na Grande Reportagem, Expresso; História e Relações Internacionais, entre outras. Actualmente, escreve n' O Público (aos sábados) e no Blitz. Como exemplo de obras editadas referenciamos: “O Pequeno Livro do Grande Terramoto” – evocando os 250 anos do terramoto de Lisboa de 1755 – ganhou a votação para melhor livro de 2005, na categoria de Ensaio, promovida pelo programa "Livro Aberto", da RTP-N e da 2 e, ainda, "Pobre e mal agradecido" que reúne um conjunto de textos de opinião e de crítica.

Poderá sempre consultar o sítio
www.circuloculturalscalabitano.pt e a Agenda do Círculo Cultural Scalabitano.

Outubro 2006

Luísa Barbosa (secretária do CCS)

30/08/06

Oficina de Expressões "Marionetas de Dedo"

Datas: 11 e 12 Novembro 2006
Local: Alfama, Largo do Outeirinho da Amendoeira, n.º 34 (antigas oficinas de fardamento do exército)
Formador: Delphim Miranda
Preço: €35
Organização e informações:
GrupoMAIS - Animação e Inovação Social
Tel:(+351) 96.030.66.25
Tel/Fax:(+351) 21.886.42.65

31/07/06

1o Congreso Iberoamericano de Animación Sociocultural

Iberanima - 1o Congreso Iberoamericano de Animación Sociocultural
Temas: Cultura, Tempo Livre e Participação Social
19, 20 e 21 Outubro 2006
Salamanca (Espanha) - Palacio de Congresos y Exposiciones de Castilla y León
Inscrição no Congresso: menores de 30 anos - €50 maiores de 30 anos - €90. Não está incluído transporte, alojamento, nem a alimentação.
Mais informações e inscrições em WWW.APDASC.COM.PT

02/07/06

Oficina de Formação de Iniciação à Fotografia

Datas: 15 e 16 de Julho 2006
Horas: 10.30h às 13h 14h às 18h
Local: Casa dos Arcos - Associação de Tempos Livres de Alfama, Beco de Santa Helena, n° 9, Alfama

Formador: Sérgio Lourenço
Inscrições: Até 12 de Julho
Organização e informações:Casa dos Arcos - ATLA - Beco de Santa Helena nº 9 Alfama (2ª a 5ª feira das 9.30h às 12.30h)
Tel.: 21 8879739 (2ª a 5ª feira das 9.30h às 12.30h)
E-mail: cfac-atla@sapo.pt


Informações retiradas da página da APDASC

16/06/06

Dinâmicas de Grupos

Compilação de algumas dinâmicas de grupo utilizadas em formações de animadores de campos de férias e de actividades :

http://clientes.netvisao.pt/nv203548/

Colocação dos animadores culturais em estabelecimentos de ensino

A animação e mediação nas escolas constitui uma valiosa forma de promoção de projectos que permitem satisfazer necessidades sociais da comunidade e aproximar as famílias e outros parceiros.

Nas seguintes páginas encontram-se as regras do ofício de colocação dos/as animadores/as culturais em estabelecimentos de ensino, assim como o formulário que deverá ser apresentado.

http://www.drel.min-edu.pt/Oficios/2001/OficioCircular13.doc

http://www.drel.min-edu.pt/Oficios/2001/OficioCircular13Anexo.doc

27/05/06

Disciplina



"O trabalho começa ao romper do dia. Mas nós começamos,
um pouco antes do romper do dia, a reconhecer-nos
nas pessoas que passam na rua. Ao descobrir os raros
transeuntes, cada um sabe que está sozinho
e que tem sono -- perdido no seu próprio sonho,
cada um sabe no entanto que com o dia abrirá os olhos.
Quando a manhã chega, encontra-nos estupefactos
a fixar o trabalho que agora começa.
Mas já não estamos sozinhos e ninguém mais tem sono
e pensamos com calma os pensamentos do dia
até que o sorriso vem. Com o regresso do sol
estamos todos convencidos. Mas às vezes um pensamento
menos claro -- um esgar -- surpreende-nos inesperadamente
e voltamos a olhar para tudo como antes do amanhecer.
A cidade clara assiste aos trabalhos e aos esgares.
Nada pode turvar a manhã. Tudo pode
acontecer e basta levantar a cabeça
do trabalho e olhar. Rapazes que se escaparam
e que ainda não fazem nada passam na rua
e alguns até correm. As árvores das avenidas
dão muita sombra e só falta a erva
entre as casas que assistem imóveis. São tantos
os que à beira-rio se despem ao sol.
A cidade permite-nos levantar a cabeça
para pensar estas coisas, e sabe bem que em seguida a baixamos."

(Cesare Pavese, Trabalhar Cansa)

14/03/06

Porque não basta acreditar é preciso concretizar!

Em Agosto de 2005, um grupo de jovens portugueses licenciados, bacharéis e estudantes de Animação Sócio-Cultural, movidos pela vontade e pelo sonho de reunir esforços para projectar esta tão nobre profissão, lutando pelos direitos destes privilegiados agentes de desenvolvimento comunitário, iniciou o processo de criação/legalização de uma Instituição de âmbito nacional, designada por APDASC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento da Animação Sócio-Cultural.

Naturalmente que o seu principal objectivo é o de contribuir para o desenvolvimento da Animação Sócio-Cultural. Com vista à prossecução de tão nobre e audaz propósito compete à APDASC, entre outras atribuições:
- Organizar grupos de trabalho que se debrucem sobre a investigação, estudo e análise de questões relativas à Animação Sócio-cultural;
- Divulgar junto de instituições e da opinião pública a natureza e os contributos da Animação Sócio-cultural para o desenvolvimento comunitário;
- Desenvolver iniciativas que clarifiquem o papel e as funções dos Animadores Sócio-culturais enquanto agentes sociais privilegiados da Animação Sócio-cultural;
- Incentivar e divulgar projectos de Animação Sócio-cultural;
- Organizar encontros e outros eventos de cariz formativo que visem a formação permanente dos Animadores Sócio-culturais;
- Possibilitar o acesso a informação, nomeadamente no que diz respeito aos cursos existentes no país e a ofertas de emprego no âmbito da Animação Sócio-cultural, tendo em vista a integração profissional dos Animadores Sócio-culturais;
- Promover o intercâmbio e cooperação com Associações e organismos nacionais e internacionais, contribuindo para a prossecução do objectivo da APDASC;
- Proporcionar aos associados o acesso a documentação e bibliografia sobre a Animação Sócio-Cultural.


Estrutura de Funcionamento da APDASC:

Departamento de Informação e Documentação
- Proporcionar aos associados o acesso a documentação e bibliografia sobre a Animação Sócio-cultural e/ou outras áreas de interesse;
- Proporcionar informação de âmbito Sócio-cultural, académico e profissional.

Departamento de Investigação e Formação
- Promover a organização de grupos de trabalho para investigação, estudo e análise de questões relativas à Animação Sócio-cultural;
- Possibilitar a formação complementar de Animadores Sócio-culturais, através de acções formativas (ex.: Acções de formação).

Departamento de Tempos Livres e Ócio
- Organização de actividades sócio-culturais, desportivas e artísticas (essencialmente para os sócios da APDASC);
- Realização de convívios entre sócios e intercâmbios entre Associações.

Departamento de Programas de Apoio, Mecenato e Patrocínios
- Desenvolver candidaturas a programas de apoio que beneficiem a APDASC;
- Possibilitar a assistência a sócios no que concerne a programas de apoio na área social e cultural;
- Criação de uma rede de contactos relativos a mecenas e patrocinadores.


Como se fazer sócio? Quais os benefícios?
Para se fazer sócio da APDASC basta solicitar o boletim de inscrição (através dos e-mail´s ou telemóveis acima referidos). A quota anual para sócios singulares é de 20,00€ e para sócios colectivos (outras associações, escolas, empresas, etc.. que se queiram associar) é de 45,00€. A taxa de inscrição é de 5,00€. O sócio da APDASC tem por benefícios (entre outros):

- Poder de influência nos destinos da Instituição. Constituindo em conjunto com todos os outros sócios a Assembleia-geral que é o órgão máximo da APDASC, pela eleição dos membros dos órgãos sociais e pela apreciação dos seus actos de gestão. Podendo por isso eleger e ser eleito para os respectivos órgãos institucionais;
- Alvo preferencial da informação gerada pela APDASC. Principalmente sobre as actividades (acções, eventos, formações, projectos, notícias, etc.) e factos técnicos relevantes;
- Acesso em condições especiais a eventos organizados pela APDASC. Isenção ou redução no preço das inscrições, prioridade em condições limitadas;
- Acesso reservado à área de sócio do site institucional
http://www.apdasc.com . O que permite aceder em condições únicas a tópicos como “oferta de emprego”, “fundo documental”, “base de dados dos sócios”, entre outros;
- Possibilidade de virem a colaborar nos departamentos da APDASC. Os departamentos de “Informação e Documentação”, “Investigação e Formação” e “Tempos Livres e Ócio” e “Programas de Apoio, Mecenato e Patrocínios”, irão funcionar com a coordenação de membros dos órgãos sociais da APDASC com a colaboração de um número limitado de sócios activos.


Contactos:

Morada: APDASC, Rua de São Martinho, Casas do Mosteiro, Lote 15, 3720-869 Vila de Cucujães.Telm: 91 8129926 / 91 9536577. E-mail: geral@apdasc.com, direccao@apdasc.com (Direcção da APDASC). Site: http://www.apdasc.com/

http://oanimadorsociocultural.blogspot.com/2006/02/porque-no-basta-acreditar-preciso.html

Contributo de Edgar Ruivo

III “Caminhos da Animação” – Colóquio de Animação Sociocultural

Tem lugar no próximo mês de Maio do corrente ano, entre os dias 9 e 10, a terceira edição do colóquio “Caminhos da Animação”. Trata-se de um projecto da responsabilidade dos alunos do 4º ano do curso de Animação Sociocultural da Escola Superior de Educação de Beja (ESEB) e conta com o apoio da ESEB e do Instituto Politécnico de Beja (IPB).

Todos os anos este evento trás à cidade de Beja e ao auditório do IPB alguns dos mais conceituados profissionais ligados directa ou indirectamente à animação sociocultural.

De ano para ano este projecto tem vindo a afirmar-se a nível nacional. Prova disso é a crescente procura por parte de profissionais e estudantes de animação sociocultural, atraídos pela qualidade do programa e actividades apresentadas.

Neste ano de 2006 a temática central do colóquio é “Animação: Passado, Presente e Futuro”. Este colóquio apresentará quatro painéis, designadamente: “Animação, Conceptualização e Intervenção”; “Animação pelo Mundo”; “Animação na Sociedade: Perspectivas” e “Formação Complementar”.

De referir que ao longo deste evento se irão desenvolver várias actividades e workshop’s complementando o programa principal.

Para mais informações deverá contactar a organização através do e-mail:
info.caminhosanimacao@iol.pt



Contributo de Edgar Ruivo

Processo de Bolonha


"PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO
DOS DIPLOMADOS
EM ANIMAÇÃO SÓCIO-CULTURAL
NO ÂMBITO DO PROCESSO DE BOLONHA
30/44
JUSTIFICAÇÃO CIENTÍFICA, TÉCNICA E/OU PROFISSIONAL

O Curso de Animação Sociocultural visa a formação de técnicos a nível superior, com competências específicas para a intervenção no domínio social e cultural. Esta formação tem como pertinência promover o desenvolvimento dos indivíduos, dos grupos e das comunidades, estimulando a participação social e cultural dos mesmos.
Assim, a Animação Sociocultural incorpora um significativo e polissémico campo de conhecimentos, reivindicativos de uma atitude crítica, consubstanciada em vectores como a criatividade, a adaptação e o humanismo.
Esta formação está orientada para exigir de um Animador Sociocultural competências técnico-científicas no âmbito dos vários contributos disciplinares e no conhecimento necessário para a aplicação das técnicas de intervenção (concepção, planificação e implementação de projectos educativos, sociais, artísticos e culturais), um mediador de grupos, indivíduos e comunidades e, consequentemente, que seja um profissional com capacidades de relacionamento significativas, ao mesmo tempo que consubstancie uma atitude que se traduza no empenho, na abertura, na iniciativa, na adaptação, na tolerância, enfim, na capacidade de promoção do desenvolvimento sociocultural através da participação dos indivíduos, grupos e comunidades."
Esta é a proposta do Processo de Bolonha para o nosso curso. É bom que todos fiquemos a par das novas alterações. Poderão ver o texto integral em http://www.aac.uc.pt/pelouros/informacao/MisteriosBolonha, no item "Pareceres" e depois na categoria "Psicologia e Ciências da Educação", e especialmente a partir da página 30, em que aborda especialmente o nosso curso.

09/03/06

O que é a Animação?

Gostaríamos que nos desses a tua opinião sincera sobre as questões seguintes:
1. Qual a cor da animação e porquê?
2. Qual o cheiro da animação e porquê?
3. Qual o sabor da animação e porquê?
4. Qual o som da animação e porquê?
Agradecemos que as respostas sejam identificadas.
Participem!!
(este pequeno questionário surgiu da leitura da obra "Dar Rosto à Intervenção - Os animadores de Desenvolvimento Local", publicada pela Associação In Loco em 2001, pois é parte integrante desta publicação)

07/03/06

Benvind@s


Benvind@s ao novo blog da animação!
Este pequeno projecto surgiu no decorrer da realização de um trabalho escolar de 2 alunas do 4º ano de Animação Cultural e Educação Comunitária da Escola Superior de Educação de Santarém, que decidiram criar um espaço aberto de discussão e de opinião, para todos aqueles que gostam e se interessam pela animação em Portugal (alunos/as, professores/as, profissionais da área, etc.).
Esperamos que gostem e que participem!